União de Freguesias organizou 92º aniversário da Elevação das Caldas da Rainha a cidade.



Exaltar o papel que todas as freguesias tiveram naquela ocasião – através das suas actividades, económicas, culturais e outras – foi o mote para a iniciativa que teve lugar na avenida da Praça da Universidade, onde foram colocados 12 mastros com as bandeiras dos brasões de cada umas das 12 Juntas e Uniões de Freguesia do concelho.

“Esta data foi fruto de muito trabalho de todas as freguesias e de todos os caldenses da época”, afirmou Jorge Varela, presidente da União de Freguesias das Caldas da Rainha – Santo Onofre e Serra do Bouro.

Foi esse determinante contributo conjunto que foi hoje homenageado numa cerimónia que contou com a presença dos representantes de todas as juntas e muitos populares.

O local escolhido também é significativo. Tal como a forte dinâmica que se registava nos anos 20, “este é um local onde se encontram vários serviços importantes, como o Centro da Juventude, o futuro Teatro da Rainha, a Biblioteca Municipal e vários equipamentos desportivos”, elencou o autarca de freguesia.

Na mesma linha de pensamento, o presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha comparou a “pujança” que em 1927 justificou a afirmação da cidade e justa elevação, com o momento actual. E refere: “procuramos continuar a trabalhar na afirmação das Caldas da Rainha, e das suas freguesias, encarando-a [a cidade] como uma polis que agrega e potencia toda a envolvente”.

A cerimónia que hoje se realizou foi abrilhantada pela actuação do noneto (nove elementos) de sopros da Banda Comércio e Indústria, dirigida pelo maestro Adelino Mota, e que apresentou vários excertos de música clássica. Foi ainda descerrada uma placa evocativa deste 92º aniversário.