Plantadas as primeiras árvores no Parque de Lazer de Santo Onofre



Chegaram na passada terça-feira, 23 de Março, 54 árvores que vão ser as primeiras a serem plantadas no futuro Parque de Lazer de Santo Onofre, no terreno entre o Cencal e o Colégio Rainha D. Leonor.
Segundo o arquitecto paisagista, Ruben Prata, a principal preocupação foi a de trazer espécies autóctones ou que se dão bem nesta região, de forma a reduzir a necessidade de manutenção, e que tivessem já alguma dimensão.
Ao não ter relva, este parque também não exigirá regas quase diárias. “Vamos manter o prado que já existia, haverá vários arbustos e flores, e dá para nos sentarmos ou deitar da mesma forma”, explicou Ruben Prata.
As oliveiras, choupos, freixos, plátanos e olaias, entre outras, vão criar diferentes ambientes de cores e cheiros. Será plantada também alguma vegetação habituada a climas mais secos.
O terreno do futuro Parque, que está reservado para a eventual construção do futuro hospital do Oeste, tem vindo a ser intervencionado desde Outubro do ano passado, de forma a criar um novo espaço de lazer da cidade.
O projeto está a ser desenvolvido pela Câmara Municipal das Caldas da Rainha, proprietária do terreno, e pela União de Freguesias das Caldas da Rainha - Santo Onofre e Serra da Bouro, tendo três fases.
A União de Freguesias considerava importante que o terreno pudesse ser utilizado até existir uma decisão sobre a localização do novo hospital. Por isso, todos os equipamentos que virão a ser colocados serão amovíveis e poderão ser deslocados para outro local, em qualquer altura, permitindo que o terreno possa ficar livre em qualquer altura.
“Trabalhámos em conjunto com a Câmara Municipal no sentido de encontrar uma solução provisória para que as pessoas possam aproveitar o espaço para as suas caminhadas, andar de bicicleta ou simplesmente para passear”, tinha já explicado Jorge Varela, na apresentação do projecto, em Outubro.
“Assim proporcionamos um espaço de lazer alternativo, fazendo ligação ao Abraço Verde no complexo desportivo”, salientou o presidente da autarquia, Tinta Ferreira. Para Jorge Varela, será assim ao complementar ao Parque e à Mata, para todas as pessoas, até porque será sempre um espaço bastante diferente.
A primeira fase da intervenção consistiu na limpeza do terreno, mantendo-se as árvores e o padro existentes. Foram criados trilhos, com saibro, a partir dos caminhos que já foram marcados pelas pessoas que por ali passam diariamente, mas também novos percursos. “Já se nota que há muitas pessoas por aqui a caminharem e a andar de bicicleta”, referiu Jorge Varela.
Na segunda fase estão a ser plantadas novas árvores e serão feitos alguns arranjos urbanísticos, por exemplo, colocando papeleiras. Só na última fase é que serão instalados alguns equipamentos amovíveis de fitness e para crianças e restante mobiliário urbano.
Por ali passará a futura ciclovia, estando ainda prevista a criação de uma pista para bicicletas BMX e uma área de terrado multiusos.
A obra está a ser feita com os próprios meios da Câmara Municipal, de acordo com a disponibilidade dos funcionários e máquinas da autarquia.